Não Comprem Peles Reais!

Estou aqui hoje para falar sobre o comércio de peles de animais no mercado da moda. Como muitas pessoas já sabem na última edição do Fashion Rio algumas grifes brasileiras (Colcci e Arezzo) fizeram desfiles de uma coleção de peças de peles verdadeiras, de animais como coelhos,chinchilas e raposas, mas o mercado de peles não acaba com a vida de animais apenas destas espécies, incluindo na lista de morte também focas,coiotes, minks, esquilos, CÃES E GATOS. Por mais que exista quem tente alegar que produz peças de pele verdadeira de maneira humanitária sem causar sofrimento aos animais no processo de abatimento e remoção da pele, já se sabe através de pesquisas feitas sob disfarce e com caráter investigativo na região da Europa e em parte da Ásia que muitos animais são pegos em armadilhas medievais que podem lhes causar infecções, focas são mortas com pauladas na cabeça. Os animais criados em cativeiro somente para o fim de se obter sua pele para comércio, vivem em gaiolas, sem o direito de correr, brincar, ver a luz do sol e levar uma vida normal do momento em que nascem até o momento em que sua curta vida é retirada cruelmente, de forma dolorosa (inclusive por meio de choques elétricos), muitas vezes retirando a pele com o animal ainda VIVO. Para a felicidade de defensores do bem-estar animal, está tramitando um projeto de lei elaborado em fevereiro que visa a proibição do uso de pele animal legítima em eventos de moda. Com a polêmica gerada pelo mau exemplo da Arezzo e da Colcci, há grande possibilidade de aprovação do projeto. É o que almejam as pessoas com um mínimo de consciência de que a vida de toda espécie animal é valiosa igualmente vida humana. 

RECONHECENDO PELES VERDADEIRAS 

Você que é uma pessoa piedosa, consciente da importância de preservar o bem-estar dos animais e reconhece o ar glamouroso que as peles dão, mas se recusa a usá-las e comprá-las pelo sofrimento que elas infligem aos animais, pode comemorar, pois aqui vão dicas para que você saiba diferenciar peles verdadeiras de peles sintéticas. 

1 - TOQUE A PEÇA: As peles legítimas têm um aspecto mais macio ao toque, as sintéticas são mais grossas. 

2 - Fique Atento Ao Tamanho Dos Pelos: As peles sintéticas têm pelos todos do mesmo tamanho, fabricados sob medida padrão. Já as verdadeiras têm pelos de tamanhos diferentes. 

3 - OLHE BEM AS CORES: Os animais, assim como nós, a não ser que tenham sua pelagem tingida, não tem todos os fiozinhos de cores iguais. Se você ver uma peça com pelos de cores que divergem muito, não compre pois ela é de pele animal. As peles sintéticas são basicamente de uma cor só por conta do tingimento do processo de fabricação. 

4 - TACA FOGO! : Adquiriu uma peça e está na dúvida se é pele sintética ou de animal? É fácil saber o que você comprou. Com muito cuidado, arranque uns pelos da peça e queime. As peles sintéticas têm cheiro de plástico ao entrar em contato com o fogo, derretem e depois endurecem nas pontas. Pele animal tem cheiro de cabelo queimado quando você põe no fogo, e reage encolhendo-se e ficando quebradiço e seco. 


Lara Tôrres  -  Uma pessoa que sonha ser jornalista e ama toda forma de vida animal. 








2 comentários:

Lara Tôrres on 30 de maio de 2011 16:38 disse...

Esta raposa da última imagem teve a pele apenas de uma das patas retirada para se colocar em apenas uma pequena parte de algum acessório. Ela não deve ter recebido nenhuma anestesia e ficou sujeita a inúmeras infecções sem falar na dor que sentiu e nem na vida de sofrimento que ela leva num cárcere assim até o dia em que sua vida é tomada.

Flávio Costa on 30 de maio de 2011 16:44 disse...

A vontade é de arrancar o couro desses 'estilistas' e empresários da moda e enfiar fiofó a dentro. Maldade sem tamanho com os bichos, não há coisa que justifique isso, nada, NADA.

Postar um comentário

 

Point das Menininhas Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare